À conversa com Andreia Marques!

2 Comentários

À conversa com Andreia Marques!

A Andreia tem trigémeas! Curiosos para conhecer a história? 🙂
Vejam a entrevista  e fiquem a saber mais sobre esta aventura maravilhosa a triplicar. 🙂
É inspiradora.
🙂

Aos Pares: O que é para ti ser mãe?

C: Ser mãe significa ter uma razão de viver, é amar incondicionalmente, um amor eterno e infinito.

 

Aos Pares: Qual a tua reação quando soubeste que estavas grávida? E quando percebeste que eram 3?

C: Quando descobri que estava grávida fiquei muito feliz, era uma gravidez muito desejada. Inicialmente foi-nos dito que eram gémeos, após uma semana é que apareceu um terceiro embrião, aí fiquei muito assustada, com receio, pela gravidez, pelo parto, por achar que não ia ser capaz, mas depois tudo mudou, a gravidez foi passada de forma tranquila e já só imaginava como iriam ser.

 

Aos Pares: Sempre desejaste ter mais que um filho, qual o teu número ideal?

C: Desejei ter um filho, não pensava em ter mais, mas fui abençoada com três princesas de uma só vez.

 

Aos Pares: A tua gravidez correu bem? Alguma recomendação para as grávidas durante a gravidez?

C: A minha gravidez correu muito bem, não tive um enjoo, uma caibra, apenas algumas dores na coluna devido ao peso na barriga, mas que eram suportáveis.

A única situação mais chata for estar internada das 27 semanas até às 35 semanas, porque elas ameaçaram nascer muito mais cedo e estive em repouso absoluto, mas sentia-me bem e consegui levar a gravidez até às 34 semanas e 6 dias.

Fui acompanhada desde o inicio por uma nutricionista e segui à regra o que me indicou.

Recomendo que tenham uma alimentação saudável, bebam muita água, continuem ativas, umas caminhadas fazem sempre bem e que desfrutem da gravidez com calma.

 

Aos Pares: O que levar na mala de maternidade?

C: Como fui internada às 27 semanas, não tinha a mala pronta, mas a   minha irmã ajudou o meu marido a preparar e ele levou o essencial, multiplicado por três claro. Duas mudas de roupa completas para cada dia, gorros, fraldas de pano, uma manta.

Produtos de higiene – fraldas e toalhitas descartáveis, lima, gel de banho, esponja natural, escova, toalha de banho.

 

Aos Pares: Quais são as tuas rotinas diárias como mãe e mulher?

C: As minhas rotinas já estão bem estabelecidas, como estou a trabalhar, tem que ser tudo feito de forma a estarem prontas para saírem de casa às 08h. Normalmente acordo por volta das 06h30 para tomar um duche, às 07h já estão elas a acordar, bebem o leite, habitualmente as primeiras a acordar são a Maria Vitória e a Maria Francisca, o pai dá a uma e eu dou à outra, quando terminam vestimo-las e ficam a brincar um bocadinho enquanto eu trato da Maria Beatriz e o pai organiza alguma coisa que seja necessário. Quando estou a fazer manhã, o pai leva-as ao infantário e eu sigo para o trabalho, quando estou a fazer o turno da noite, o pai leva-as para o infantário e eu aproveito a manhã para tratar de algumas coisas em casa. Por volta das 18:30h o pai vai buscá-las ao infantário, adormecem por volta das 21h/21h30. Tentamos manter esta rotina, mesmo ao fim-de-semana para se habituarem a terem horários estabelecidos e as coisas têm corrido muito bem desta forma.

 

Aos Pares: Consegues conciliar a vida de mãe com o trabalho?

C: Consigo e tem corrido bem, elas foram para o berçário por volta dos 6meses, altura em que regressei ao trabalho, felizmente posso contar com a preciosa ajuda da minha mãe, uma vez que trabalho por turnos, há dias em que ela é o grande apoio do meu marido, de outra forma seria muito complicado, há dias em que só chego a casa por volta das 23h:30 e elas já estão a dormir serenas.

 

Aos Pares: Qual o papel do Pai aí em casa?

C: O papel do pai é fundamental, precioso e muito importante, o pai faz exatamente as mesmas coisas que eu, sabe fazer tudo o que diz respeito às meninas e à casa, desde o início, dá-lhes o leite, prepara a alimentação delas, dá-lhes banho, trata delas exatamente como a mãe, não há diferença. Mesmo em relação à casa, trata das roupas, aspira, limpa o pó, só não passa a ferro, essa tarefa a minha mãe faz e mantem sempre as roupas em ordem, não deixa que se acumulem.

 

Aos Pares: Qual o episódio mais divertido e o mais caricato que tiveste com os teu filhos?

C: Ainda não tive muitos episódios caricatos e divertidos, porque elas estão com 19meses, a iniciar agora a fase de fazerem as suas gracinhas, mas a Beatriz já nos proporcionou um episódio divertido, estávamos a conversar e ela desata às gargalhadas, de tal forma que também desatámos a rir com ela.

 

Aos Pares: Qual o maior susto que apanhaste como Mãe?

C: O maior susto, foi quando devido a uma bronquiolite mais forte, a Maria Francisca e a Maria Vitória ficaram com grave dificuldade em respirar e começaram a perder os sentidos, tentei manter a calma, mas fiquei realmente muito assustada.

Com a Maria Beatriz foi quando me ligaram do infantário a dizer que a auxiliar estava a caminho do Hospital com ela, porque tinha batido numa mesa e aberto o sobrolho, quando cheguei ao Hospital vi que estava bem e que tinha sido superficial.

 

Aos Pares: Qual o maior desafio de ser Mãe de trigémeos?

 C: Para além da gestão orçamental é sem dúvida gerir os feitios, a forma de lidar com cada uma delas, porque são trigêmeas, mas têm personalidades e feitios completamente diferentes e também gerir a atenção que tenho que dar a cada uma delas, é complicado quando querem colo ao mesmo tempo e não é possível, mas com amor, com calma e muita paciência tudo se consegue.

 

Aos Pares: O que te dizem na rua quando sais com as 3?

C: As pessoas perguntam logo se foi tratamento, porque é raro verem trigémeos, depois se foi à primeira, como foi a gravidez, o parto, o pós parto, querem ver, compará-las, ver como são as gémeas verdadeiras e a gémea falsa, depois fazem imensas perguntas sobre elas, se dormem, se choram ao mesmo tempo, como fazemos para lhes dar de comer, normalmente as pessoas são curiosas mas simpáticas, nunca passei por nenhuma situação desagradável, nenhum comentário negativo.

 

Aos Pares: És preocupada com a roupa das tuas filhas? Qual a tua loja preferida?

C: Sou muito preocupada, gosto de as vestir bem, que estejam bonitas, confortáveis. Gosto muito das marcas Portuguesas, acho que têm cortes simples, tecidos confortáveis, mas por uma questão de orçamento, normalmente compro na Zippy, na Primark, na Kiabi, H&M, C&A, têm preços mais em conta.

 

Aos Pares: Qual o teu maior desejo e o teu maior medo como mãe?

C: O meu maior desejo é que as minhas princesas sejam meninas felizes, que se deem sempre bem, que tenham uma relação boa entre elas, se mantenham sempre unidas, cúmplices.

Como são três com feitios completamente diferentes tenho receio que em algum momento se sintam colocadas de parte, que não dei a devida atenção.

 

Aos Pares: Como gostas de passar o teu tempo em família?

C: Gosto dos serões em que passamos só dedicados a elas, a brincar com elas, ensinar palavras, cantar, dançar, para mim não há nada melhor.

 

Aos Pares: Os filhos dão-nos muitas alegrias, qual a maior que tiveste?

C: A maior alegria foi mesmo o nascimento das três, o momento em que soube que elas tinham nascido bem, estavam bem, sem nenhuma complicação.

 

Aos Pares: Recomendações pós-parto?

C: Manter uma alimentação saudável.

Pedirem ajuda se sentirem que é necessário, temos que estar bem para cuidarmos dos nossos filhos.

 

Aos Pares: O que recomendas em especial para uma Mãe de trigémeos?

C: Para além de antecipar tudo, preparar as coisas no dia anterior para a manhã seguinte, ser muito prática, encarar a situação sem stress.

 

Aos Pares: Essencial para o inverno?

C: Um bom casaco, leggings e camisolas quentes porque é muito prático, para o infantário é ótimo e dois pares de calçado, umas botas e uns sapatos que conjuguem com vários estilos.

 

Aos Pares: Sugestão de programa para um fim-de-semana?

C: Num sitio sossegado, sem confusão, em contato com a Natureza, de forma a relaxarmos um bocadinho e elas brincarem livremente….

 

Aos Pares: Ser mãe é…

C: O melhor do mundo…

Obrigada! ❤

 

À conversa com o Pediatra Hugo Rodrigues – 4
À conversa com Mara Tomé!
2 Comentários
  • Fernando DaCosta

    Responder

    Fantásticos os pais, a coragem e a tranquilidade com que encararam quando souberam que eram três.
    Muitas felicidades para os cinco.

  • Andrea castro

    Responder

    Andreia, muitos parabéns! As três Marias são maravilhosas. Beijinhos

Deixe um comentário