Como lidar com estas birras?

31 Comentários

Como lidar com estas birras?

Costumo dizer que o pior para mim são mesmo as birras, e os mais velhos continuam a fazê-las, diziam-me que paravam aos 3, 4… e a verdade é que principalmente a Matilde continua ao rubro.

No entanto, as birras da Matilde são mais fáceis de dar a volta, ou seja, consigo que pare de chorar. São más, mas consigo lidar com isso.

Hoje venho pedir conselhos para as birras da Maria do Carmo, não estamos a conseguir lidar com as birras dela…

Quando a contrariamos ou dizemos “não”, faz birras de pôr qualquer um maluco e não a conseguimos acalmar, nem sequer tirá-la do sítio onde está. Muitas vezes, se estou na rua, acabo por ceder um bocado, pois com 4 sozinha não é fácil.

Mas não é esta a maneira que quero utilizar para que ela pare as birras, ceder não é solução, até porque se digo que não, não posso dizer que sim logo a seguir… Ela esperneia, rebola no chão…nem imaginam!!!

Em casa é mais fácil, porque posso tentar um castigo, agora na rua, quando estamos a tentar ir para algum sítio e se estou sozinha com os 4, com cada um a ir para o seu lado, não sei como lidar com estas birras infernais!!!!

Agora sim vejo que as mulheres no que toca a birras dão 10 a zero aos rapazes, e com 3 em casa estou tramada!!

Serão as sestas essenciais!?
Gastronomia, chuva e muita diversão!!
31 Comentários
  • Carolina

    Responder

    Querida Mariana, sei que não é nada fácil a fase das birras. O importante é mesmo não ceder e não mostrar fraqueza ou constrangimento por estar num sítio qualquer.
    Se está em casa, deve desvalorizar e tirar os manos de ao pé dela. Não há problema nenhum em ficar no chão a berrar. Ela vai perceber que a birra não resulta

  • Carolina

    Responder

    De seguida deve dizer lhe “não” mais vezes, quando ela mostra interesse em algo. Por exemplo “mãe quero ver bonecos” e a Mariana responde “não Maria do Carmo, foste feia, fizeste uma birra. Agora não há bonecos”. Quanto mais frente lhe fizerem, mais ela vai ceder e deixar de fazer as birras.
    O mesmo funciona na rua… pode dizer lhe “estás a chorar? Então vou me embora com os manos”

  • Carolina

    Responder

    E pode dar uns passos à frente. Se ela vir indiferença, vai parar de fazer. Quanto mais valorizamos as birras, mais eles choram e fazem pior. Principalmente se sentem que não queremos que eles o façam por estarem em sítios mais formais. Nos espaços fechados (cafés, etc) pode pegar nela (mesmo que ela faça força e se mande para o chão) e sair para a rua para que não incomode quem está no espaço

  • Carolina

    Responder

    E para não ter aqueles olhares reprovadores de toda a gente que tem a mania de dizer “se fosse meu filho” e nos causam uns nervos enormes!!!
    Posto isto, se entender que há momentos em que uma palmada no rabo é bem assente pela birra, então faça! Não há problema nenhum! Antes uma boa palmada do que uma birra em todo o lado que nos envergonha e chama atenção de todos. Com os meus foi remédio santo.

  • Carolina

    Responder

    Eles têm a capacidade de nos levar à loucura. Mas quanto mais percebem que estamos enervados, mais fazem a birra. Ou se percebem que estamos a sustentar, idem aspas… Eles não morrem por chorar. Só lhes faz bem. Os meus ao início chegavam a chorar 2h e eu continuava como se nada fosse. Só foram duros os primeiros dias. Rapidamente perceberam que só tinham a perder e não resultava.

  • Carolina

    Responder

    Eles são muito inteligentes e nós temos o defeito de os subestimar. “Coitadinhos, ainda não percebem” mentira! Percebem até de mais e ainda nos fazem passar por burros hihihi o mesmo serve para a Matilde.
    Espero ter ajudado.

    Um grande beijinho e boa sorte ❤

    Ps: tive de comentar várias vezes porque não deu para escrever tudo apenas num comentário

    • Mariana Seara Cardoso

      Percebem tudo, tb concordo!
      Obrigada pela partilha <3
      Beijinhos

  • M

    Responder

    Eu tenho 24 anos e a minha mãe conta sempre a história de eu ter decidido fazer uma grande birra numa pastelaria, muito calmamente a minha mãe levou-me à casa de banho e deu-me umas palmadas valentes. Segundo consta depois disso de cada vez que me preparava para fazer birra a minha mãe apenas perguntava “queres ir à casa banho?”. Foi remédio santo eheh.

  • Margarida Ferraz

    Responder

    Há crianças e crianças. As minhas mais velhas nunca fizeram dessas birras na rua mas o meu mãos novo é exímio nessa arte. E posso deixa lo a berrar e a espernear e dar uns passos à frente que ele continua, não quer nem saber. Solução, trazê-lo quase debaixo do braço, enquanto ele se esperneia e berra e enfia lo no carro. Mas não tenho 4 praticamente da mesma idade como a Mariana, um é maia fácil.

  • Pedro

    Responder

    A minha agora já não faz tanta birra mas alguns meses atrás era um pesadelo dava que fazer

  • Joana Luís

    Responder

    Olá Mariana.
    Tenho uma menina de 3 anos e com a chegada da irmã à 1 mês, as birras intensificar am-se. Já não sei mesmo o que fazer, leva-me à loucura. Por vezes deixo-a onde está até se acalmar, outras vezes tenho mesmo de ceder, porque torna-se muito complicado. Estou a desesperar.

  • Joana

    Responder

    Abraçar-la para que se acalme (isto quando ainda é possível), às vezes precisam só de carinho e um bocadinho de atenção. Também transmitimos o nosso stress (e com 4 acredito que seja mt difícil estar sozinha e que todos cooperem) e o falar com calma e carinho ajuda que acalmem. Experiência comprovada.

  • Carla Marques

    Responder

    Tenho 3 filhos: uma menina de 4 anos, uma menina de 2 anos e um bebé de 3 meses e há dias muito desafiantes.
    A Maria, de 2 anos, faz birras medonhas e eu chego a fechar-me no quarto durante uns segundos para me acalmar. O que faço é deixar uns 2 minutos no berço, de castigo, cada vez que faz birra. Tem resultado. Nunca lhe bati e não acho que seja solução. Boa sorte. 🙂
    http://www.vinilepurpurina.com

  • Carolina

    Responder

    Entendo muito bem. Liguei as sugestões mas na verdade dois braços e 4 filhos. Estás fórmulas aqui descritas funcionam muito bem mas com menos miúdos. Eu tenho cá 3 e um é tipo a sua
    Nem a indiferença me vale. Nem o castigo nem no limite uma palmada. É de enlouquecer

  • Ana

    Responder

    Não acho que dizer à criança que ela é feia vá ajudar em alguma coisa, muito menos palmadas. A criança está a aprender a lidar com as suas frustrações, para ela também não é fácil, não sabe exprimir as emoções que está a sentir no momento. Se há tantos adultos a fazer birras por aí e outras tantas asneiras, imaginem o que era por cada coisa mal feita que fazem também levarem uma palmada.

  • Isabel

    Responder

    Dou o conselho contrario à maioria: dê atençao assim q começa a birra, abra o dialogo, baixe-se p ficar ao nivel dela, mostre empatia…”já percebi que estas mm chateada, queres explicar à mãe?” E qd tudo acalmar tente perceber que necessidafe da criança não esta preenchida: atenção? Segurança? Mimo? Força!

    • Mariana Seara Cardoso

      Obrigada, gostei! 🙂

  • PM

    Responder

    Pf, calma. Não vamos dizer às crianças que são feias porque fazem birras. Vamos reforçar que há atitudes e comportamentos feios, porque é isso que podem mudar com a maturidade.
    Aconselho a acompanhar o autor do livro “O cérebro da criança explicado aos pais”.

    • Mariana Seara Cardoso

      Obrigada pela partilha e dica.
      Beijinho

  • Sofia

    Responder

    A minha filha atirou-se uma vez para o chão no continente com 2 anos e meio! So lhe disse! Chora fica aí que vou embora não estou para passar vergonhas! E fui! Quanfo virei o corredor 2 edeicou de me ver correu e veio ter comigo, nao fiz nenhum comentario nunca mais falei do assunto ate hoje!

    • Mariana Seara Cardoso

      Nunca mais fez birras?
      Beijinhos

  • Sílvia Pereira

    Responder

    Na semana passada aprendi algumas estratégias para as birras.O principal é tentar mudar o foco.Mas por exemplo o grito mudo, no braço, na almofada, por exemplo se estiver na rua é algo que é prático (a almofada pode andar no carro). Há também a casa das birras. Pode construir com ela uma casa, e colocar lá dentro objectos que ela queira para poder “aliviar” a birra. Veja Céu d`afectos.

    • Mariana Seara Cardoso

      Obrigada pelas dicas.
      Beijinho

  • Joana Almeida

    Responder

    Não acho de todo que seja um bom método chamar feia à criança ou dar-lhe palmadas “no limite”. Porque o limite de uma de nós pode ser grande mas de outra pode ser pequena e coitada da filha da última que estava sempre a levar cada vez que fizesse birra. Tenho duas sobrinhas com idades muito próximas (5 e 7) e é difícil sim. Mas não é impossível.

  • Joana Almeida

    Responder

    Baixar-se ao nível dela. Tentar que explique o que se passa peeguntando baixinho e com carinho e calma (eu sei que pode ser difícil). Abraça-la e não dizer nada. São crianças, como já foi dito e bem, estão também elas a aprender a verbalizar as suas frustrações e não são todos que o fazem sem birras. Bater realmente não é solução só vai agravar o problema.

    • Mariana Seara Cardoso

      Obrigada pela partilha.
      Beijinho

  • Joana Almeida

    Responder

    Bater pode resolver no momento mas não vai fazer o que realmente interessa: responder positivamente à frustração da criança para que esta se acalme. E ela até pode não fazer mais birra nenhuma mas vai ficar sempre com alguma coisa por resolver e aprender apenas para não levar. Estamos no século XXI. Quem acha que bater é solução por amor de Deus, ficou onde?
    Beijinhos e boa sorte!

  • Maria Luísa

    Responder

    É por se desculpabilizar os comportamentos das crianças, que temos cada vez mais nesta sociedade jovens mal educados e sem respeito pelo próximo. Palmadas na hora certa nunca fizeram mal a ninguém. Nem sequer é uma questão de estarmos no século XXI ou não. É uma questão de educação e comportamentos. Actualmente existem demasiados estudos para tornar credível atitudes e comportamentos das crianças.

    • Mariana Seara Cardoso

      Obrigada pela partilha
      Um beijinho

  • Leonor

    Responder

    Eduquei e criei 5 filhos e 3 netos até ao momento. Todos eles diferentes mas todos eles em certa altura a tentar testar os meus limites. Pois bem, posso dizer que todos eles levaram palmadas e castigos na altura que eu achei que era a correta e nenhum deles hoje em dia é mais frustrado ou menos feliz por ter levado palmadas e castigos. São felizes, muito bem educados! Beijinhos Mariana

    • Mariana Seara Cardoso

      🙂
      Obrigada pela partilha.
      Beijinhos

Deixe um comentário