À conversa com a Enfermeira Patrícia Jorge – 2

Hoje a nossa conversa real é outra vez com a enfermeira Patrícia Jorge, sobre um tema que dá, naturalmente, muitas dores de cabeça aos pais: as cólicas!

Espero que as dicas vos sejam úteis e vos ajudem a superar este pequeno pesadelo!

Quando foi comigo a Enfermeira Patrícia, ajudou-me muito. Os telefonemas e mensagens da minha parte foram alguns, quando fui mãe pele primeira vez.

No segundo par a experiência e já foi mais fácil lidar com a situação.
__
Cólicas do bebé: O tema que tanto assusta os pais, mesmo antes de o serem.

 
Desmistificar alguns pré conceitos pode ajudar a entender melhor esta situação e, assim, atuar de forma mais direcionada e tranquila perante as cólicas do bebé.

O choro inconsolável do bebé parece não ter fim e ainda só vai a meio. Costuma acontecer ao entardecer e prolonga-se muitas vezes pela noite dentro. Normalmente surge a partir da 3ª semana de vida do recém-nascido e só pelo 3º mês desaparece.

Não havendo uma explicação única e definitiva para as cólicas do latente, acredita-se estarem relacionadas com a imaturidade dos sistemas do bebé, quer seja o sistema nervoso quer o sistema gastro-intestinal.

O sistema nervoso, porque não permite aos bebés terem ainda capacidade para gerir as emoções e, o sistema gastro intestinal, porque não possui ainda todas as enzimas e habilidades necessárias facilitadoras da digestão.

Nos bebés que estão a ser alimentados com leite materno em exclusivo, fatores como a pega incorreta do bebé na mama ou os hábitos alimentares da mãe, podem contribuir para o aumento e intensidade das cólicas.

É normal os pais sentirem-se impotentes perante aquele estado de desconforto do bebé.

Embora todas as crianças sejam diferentes, existem alguns “truques” comuns que podem ser postos em prática para minimizar as cólicas nesta idade.

Apresento algumas sugestões de atuação que devem ser postas em prática com muita tranquilidade, encarando esta fase como natural e passageira:

– Em primeiro lugar, deverá sempre despistar outras causas possíveis para o choro do bebé (fome, calor, frio, febre, fralda suja, etc);
– Antes de cada refeição do bebé, despenda algum tempo a massajar a barriga dele;
– Faça movimentos de flexão das pernas do bebé em que os joelhos deste irão pressionar a barriga e facilitar a expulsão de gases;
– Verifique se a adaptação à mama e/ou à tetina estão corretas, sem entrada e deglutição de ar;
– Coloque o bebé em posição adequada para arrotar a meio e no fim de todas as refeições;
– Estabeleça rotinas de fim de dia, com momentos relaxantes para si e para o bebé;
– Dê muito colo e muito mimo;
– Encha-se de paciência e não desespere;
– Passe o bebé para outro colo se sentir que não está a conseguir gerir a situação naquele momento;
– Deite o bebé de barriga para baixo no seu braço ou no seu tronco, mantendo as pernas dele fletidas;
– Ofereça-lhe sucção não nutritiva, colocando a chucha (se a utilizar) ou a mão do bebé na boca deste;
Durma assim que o bebé adormecer porque… amanhã há mais!

❤❤

Espero que tenham gostado e que tenha sido útil!

Podem deixar as vossas perguntas aqui.

Se quiserem também podem consultar a Enfermeira Patrícia aqui. 

Related Posts

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *