À conversa com a Nutricionista Inês Onofre Domingues – 2

1 Comentário

À conversa com a Nutricionista Inês Onofre Domingues – 2

Olá!

Hoje é dia de conversas reais com a Nutricionista Inês Onofre Domingues. 🙂

A conversa de hoje é sobre o pós-parto, um tema de que todas nós gostamos e queremos saber mais e mais.

Espero que gostem das dicas, sugestões e de toda a partilha.

Alguma dúvida, podem deixar aqui que tentamos ajudar.

Um beijinho e bom fim-de-semana!

__

Recuperação do peso pós-parto: Recomendações e Curiosidades

As transformações no corpo da mulher ocorrem durante aproximadamente 9 meses e, por este motivo, é necessário dar mais ou menos este tempo para emagrecer e regressar ao peso habitual de forma eficaz e duradoura. A chegada do bebé traz grandes transformações nas rotinas de casa e da própria mãe, essencialmente se se tratar do primeiro filho. Há muitas incertezas, inseguranças e dúvidas e, por vezes, nas prioridades do dia, a mãe acaba por se deixar para segundo plano, o que traz mais incertezas e inseguranças a este período pós-parto. É perfeitamente natural que a mãe queira iniciar com alguma rapidez um plano alimentar e um conjunto de rotinas saudáveis que a ajudem a reatar a sua forma física mas é importante que a mãe esteja consciente que o seu corpo necessita de um período de repouso, que se recomenda que seja de três a seis semanas (dependendo se foi parto normal ou cesariana), antes de iniciar as recomendações de recuperação pós-parto, inclusive actividade física.

No corpo da mulher, ao longo da gravidez, ocorrem alterações hormonais e transformações grandes na sua composição corporal (ancas, abdómen, pernas e seios). O aumento de peso durante a gravidez é um importante determinante do peso corporal após o parto. É fundamental para a mulher compreender as suas mudanças de peso e o médico, nutricionista e/ou técnico de saúde deverão assegurar que, durante os cuidados pré e pós –parto, a mulher é devidamente informada acerca das alterações corporais próprias de cada fase, de forma a ter uma gravidez bem programada no que toca ao controlo do seu peso e composição corporal.

Aleitamento vs Perda de peso pós-parto

O aleitamento materno é um importante determinante da perda de peso após o parto, devido às necessidades energéticas inerentes à produção do mesmo. As recomendações nutricionais exigem que nesta fase as mulheres que amamentam tenham uma ingestão energética aumentada, comparativamente com as mulheres que não amamentam, devido ao balanço energético-metabólico que caracteriza o processo de produção de leite. As mulheres que não amamentam tem uma redução da mobilização de gordura acumulada, podendo assim, reduzir a ingestão alimentar e ter uma dieta mais restrita após o parto. Uma mulher que esteja a amamentar deve comer um pouco de tudo para não condicionar a qualidade nutricional do leite materno, assegurando a cada refeição uma alimentação completa, variada e equilibrada.

A duração do aleitamento pode também condicionar os resultados do seu efeito no peso materno após o parto; de facto, um aleitamento longo e intenso pode contribuir para uma perda de peso após o parto mais acentuada. Se a mulher estiver a amamentar de forma exclusiva até aos 6 meses deve perder, aproximadamente, 6 kg do peso ganho durante a gravidez, pois o seu corpo perde naturalmente uma média de 800 g a 2 kg por mês, e gasta a mais 400 a 500 calorias apenas para a produção de leite materno.

Pós-parto vs Exercício físico

O exercícios físico pode ser iniciado nas três a seis semanas após o parto, desde que o médico que a acompanha dê indicação para tal. Caso o parto tenha sido de cesariana poderá ser necessário mais tempo de repouso antes de iniciar actividade física. O exercício físico após o parto ajuda a recuperar o peso da gestação e a fortalecer o abdómen, combatendo a flacidez, entre muitos outros benefícios físicos, fisiológicos e psicológicos. São normalmente recomendados os exercícios específicos de recuperação pós-parto que ajudam tanto na perda de peso como na recuperação do corpo e bem-estar geral.

Dieta Pós-parto

Após o parto a dieta deve ser rica em alimentos nutritivos e pouco calóricos que ajudem a mulher a recuperar a forma rápida e eficazmente: uma dieta rica em cereais integrais (hidratos de carbono de absorção lenta), em proteínas (carne, peixe e ovos), antioxidantes (frutas e legumes), alimentos ricos em ferro (leguminosas, carne e visceras) e vitamina c (frutas cítricas). Devem, desta forma, constar na alimentação pós-parto alimentos pertencentes a todos os grupos da roda dos alimentos, nas porções adequadas ao peso e estatura da mãe, dando sempre preferência a alimentos o mais natural possível, sem aditivos. Se a mãe estiver a amamentar deve evitar alguns alimentos (que provoquem desconforto e cólicas no bebe) e chás, que seguem listados abaixo:

> Chás a evitar durante o período de amamentação:
· Chá preto;
· Chá de carqueja;
· Chá mate;
· Chá de ginseng;
· Chá de raiz de alcaçuz;
· Chá de verde;
· Chá de bolbo.

> Alimentos a evitar se estiver a amamentar:
· Feijão;
· Ervilhas;
· Nabo;
· Brócolos;
· Couve-flor;
· Refeições demasiado condimentadas;
· Chocolate;
· Pimentos;
· Alimentos picantes;
· Leite de vaca.

É importante que a mãe esteja consciente de que os cuidados com o corpo e com a saúde deverão manter-se presentes tanto durante como após a gestação. Não tem que ser difícil nem um desafio impossível a recuperação da sua composição corporal após o parto! É perfeitamente possível, gradualmente, o corpo recuperar a forma habitual e voltar a encontrar o mesmo conforto e bem-estar que sentia antes de engravidar. Para minimizar as incertezas e inseguranças próprias desta fase (e perfeitamente naturais), é determinante para a mãe respeitar com a máxima serenidade possível o tempo que a recuperação pós-parto exige, ao mesmo tempo que vai implementando os cuidados alimentares e de estilo de vida necessários para que tal aconteça.

__

Beijinhos e bom fim-de-semana!

❤❤

À conversa com a Enfermeira Patrícia Jorge - 2
À conversa com a Psicóloga Benedita Moutinho – 2
1 Comentários

Deixe um comentário