À conversa com Marta Paúl! 

0 Comentários

À conversa com Marta Paúl!  

A Marta é mais uma Mãe com M grande, tem 3 filhos é uma guerreira.

Teve medo quando soube que ia ter gémeos, mas hoje é uma MÃE FELIZ por ter os seus queridos gémeos.

Leiam mais uma entrevista inspiradora.

Obrigada Marta, adorei!

__

Aos Pares: Qual a tua reação quando soubeste que estavas grávida?

M: Fiquei super contente, na verdade foi algo planeado! Queriamos que fizessem entre 2/3 anos de diferença e por isso o timing quando descobri “o positivo”, os 2 anos e 9 meses de diferença que fariam pareceu-nos perfeito.

 

Aos Pares: Sempre desejaste ter mais que um filho, qual o teu número ideal?

M: Costumava dizer sempre que queria 2 filhos no mínimo e 3 no máximo. O terceiro seria um projeto mais longínquo que mediante as circunstancias da vida poderia ou não vir a acontecer, isto porque o meu marido não estava muito convencido.

 

Aos Pares: Qual a sensação quando soubeste que ias ter gémeos?

M: Fiquei muito nervosa. Fui fazer uma ecografia de controlo porque achei que estava a ter um aborto espontâneo às 7 semanas e foi quando descobriram dois sacos embrionários já com os corações a bater e tudo em condições perfeitas. Tive uma quebra de tensão na marquesa e para piorar a situação estava sozinha (como era sábado de manhã o meu marido ficou com o Henrique na sala de espera e eu entrei na ecografia sem ele). Quando me recompus demorei algum tempo para assimilar a informação, fiz um trilião de perguntas ao meu médico e adicionalmente tentei pensar como iria contar ao Pai!! A sensação de que estava a viver uma loucura prolongou-se durante algum tempo. Não conseguia nunca imaginar que ia ter dois bebés ao mesmo tempo (já sabendo o que era ter um e o que isso significava) sentia-me bem aflita quando pensava o que seriam 2 recém-nascidos ao mesmo tempo e posteriormente 3 bebés lá em casa!

 

Aos Pares: A tua gravidez correu bem? Alguma recomendação para as grávidas?

M: Tive uma gravidez do meu primeiro filho bastante complicada, tive de repouso entre as 25 e as 34 semanas por ter um colo do útero bastante curto e a abrir (Insuficiencia istmo-cervical), e por isso quando descobrimos que iam ser dois bebés cosi o colo do útero (Ciclorrafia) o que implicou que ficasse de baixa a gravidez inteira para garantir que tinha uma vida calma e corria tudo bem. Assim foi, aproveitei imenso esta gravidez, não fui obrigada a ficar nem um dia de repouso total, pelo que pude preparar da melhor forma a chegada dos bebés.

Recomendo que tentem descansar sempre que possível, fazer tudo com calma e evitar o stress. Tentar interpretar e respeitar os sinais que o nosso corpo nos vai transmitindo é meio caminho andado para que tudo corra bem. Se não tiverem contra-indicações, fazer exercício físico é sempre uma mais valia para o bem estar físico na gravidez e para a recuperação pós-parto (aliado a uma alimentação rica e variada). Paralelamente, e mais importante de tudo, que sigam à risca as recomendações médicas.

 

Aos Pares: O que levar na mala de maternidade?

M: Para além de toda a roupinha a dobrar, não esquecer umas touquinhas bonitas (as da maternidade podem não condizer), mantinhas para os embrulharem quando pegarem neles ao colo, Máquina Fotográfica, e acessórios indispensáveis tais como: chupetas, escova cabelo, tesoura unhas etc… eu arranjei também uns santinhos para por em cada berço para dar sorte 🙂

 

Aos Pares: Quais são as tuas rotinas diárias como mãe e mulher?

M: Já recomeçei a trabalhar e por isso tento ter tudo planeado para as manhãs e os finais de tarde para não ser um caos e poder aproveitar esses momentos com eles que são sempre preenchidos de algumas rotinas diárias como o vestir/banho etc… Para ajudar as rotinas matinais escolho as roupas todas de véspera dos 3 e a minha também, e dia sim/dia não, lavo o cabelo antes de me deitar para de manhã, com os 3 já acordados e com tempo contado não ter de o fazer. Aos finais da tarde tento sempre ficar o máximo tempo possível a brincar com eles (agora aproveitamos muito o jardim ou vamos dar passeios a pé) e depois subimos todos para banhos. Costumo por o Henrique no banho enquanto, no mesmo quarto de banho dou banho naquelas banheiras portáteis aos bebés e visto um de cada vez. Quando os gémeos estão despachados vão para as espreguiçadeiras e trato do Henrique. Dou jantar primeiro aos bebés que se deitam mais cedo e posteriormente dou jantar ao Henrique, ficamos um bocadinho apenas com ele para que tenha oportunidade de ser “filho único” durante uma horinha mais/menos. Depois de o deitarmos, e apenas a seguir a isso, jantamos a sós os dois para conseguirmos também ter um momento diário em casal.

 

Aos Pares: Consegues conciliar a vida de mãe com o trabalho?

M: É bastante exigente. É preciso ser extremamente organizada tanto em casa como no trabalho, mas é possivel. Temos que tentar ser equilibradas e evitar os momentos de stress em ambos os locais. Não levar o stress familiar duma manhã que correu menos bem para o escritório ou o stress de ter saído super tarde ou ter tido uma reunião que não correu bem para casa. Saber que os nossos filhos estão em boas mãos, e no meu caso é com uma Avó fantástica e com uma ajuda de grande confiança é essencial para conseguir desligar e desempenhar um bom trabalho.

 

Aos Pares: Qual o papel do Pai aí em casa?

M: Qual Pai? Ahah… cá em casa moram duas Mães! O Pai quando chega a casa (que normalmente é ligeiramente mais tarde) entra na rotina na perfeição. Há sempre lugar para mais duas mãos ajudarem. Para além disso, é quem vai ao supermercado, quem põe as gasolinas nos carros e faz muitas pit-stops na farmácia. É um verdadeiro trabalho em equipa e acho que isso ajuda muito à vida do casal J

 

Aos Pares: Qual o episódio mais divertido e o mais caricato que tiveste com os teu filhos?

M: Não destaco nenhum episódio assim no geral, mas é muito divertido e apaixonante ver a relação deles os 3. Os bebés já vibram com o heroizinho mais velho cá de casa, e este já não saberia viver sem os manos. Ver a cumplicidade dos gémeos, embora que ainda muito ténue, mas que já existe, é algo vibrante também… ontem quando olhei estavam a arrancar as meias um ao outro, por exemplo, é sempre engraçado vê-los a interagir.

 

Aos Pares: Qual o maior susto que apanhaste como Mãe?

M: Acho que o maior susto que apanhei como Mãe foi logo quando nasceram os gémeos terem ido os dois para a neonatologia. O Vasco ainda teve em dúvida se iria ou não, mas acabou por lá ficar em observação durante 24 horas. O pedro teve ainda 3 dias na incubadora e posteriormente outros 3 em OBS também. Entrar na sala da neonatologia e ver um filho nosso é de partir o coração. O futuro é uma incerteza, apenas falam do presente porque cada minuto é uma conquista e é desconcertante voltar para o quarto e deixá-los lá sem nós, sem o nosso mimo e calor ao cuidado de excelentes profissionais é certo mas desconhecidos. Passados 1,5 meses regressávamos nós ao Hospital, desta vez com Bronquiolites víricas e ficaram os dois internados em alturas diferentes. Na manhã que o Vasco teve alta o Pedro foi internado. Foi sem dúvida uma semana muito dura, inclusivé passamos lá o Reveillon, e ainda havia o Henrique tão pequenino para gerir. Enfim…quando me vi com os dois bebés em casa das duas vezes foi dos dias mais felizes da minha vida.

 

Aos Pares: És preocupada com a roupa dos teus filhos? Qual a tua loja preferida?

M: Acho que posso afirmar que sou preocupada. Gostava de ser menos, confesso, mas como “virgem” de signo que sou infelizmente algo perfeccionista gosto de os ver sempre muito bem arranjados e cheios de pinta. Dado que o orçamento familiar obriga a usarmos algum bom-senso, tento comprar nos saldos, promoções ou até em mercados/feiras de coisas em segunda-mão. Depois há sempre aquelas exceções de uma ou outra peça ou conjunto que perco a cabeça e lá se vai o orçamento restrito. Ahah…

 

Aos Pares: Qual o teu maior desejo e o teu maior medo como mãe?

M: O meu maior desejo é ter saúde para vê-los a crescer e a desenvolver saudáveis e felizes. O meu maior medo é não oportunidade de o fazer ou que algum de nos não tenha saúde.

 

Aos Pares: Como gostas de passar o teu tempo em família?

M: Adoro passear com os 3 !! Nem sempre é logisticamente possível (muitas vezes até pelos horários tão diferentes que ainda têm) mas sabe-me muito bem. Costumamos madrugar e saímos bem cedo, gosto daqueles dias que nada é planeado e ao longo do dia vamos adaptando o programa e decidindo o que vamos fazer a seguir (tenho é de planear a logística para o dia inteiro dos 3). Como este verão chegou muito tarde e temos a sorte de ter um jardim em casa, almoçar pelo jardim e passarmos a tarde na relva a brincar também faz as delicias da casa…

 

Aos Pares: Os filhos dão-nos muitas alegrias, qual a maior que tiveste?

M: Acho que não consigo eleger uma alegria especifica, acho que o facto de ter 3 filhos tão saudáveis e tão perfeitinhos é por si só enorme alegria e benção. E depois, e o dia a dia com eles e novamente vê-los a evoluir, cada conquista deles é uma alegria, desde a primeira gracinha, aos primeiros passos, à primeira música e depois agora com o Henrique ao vermos os seus traços de personalidade já tão evidentes dum miúdo super curioso e observador, sociável, cheio de conversa. Quando nos surpreende com a sua gigante memória e associações cheias de imaginação, que para além de alegria nos enche de orgulho. E é muito reconfortante ver que o amor pelos filhos não se divide pelos 3, mas multiplica-se. Todos os dias. A toda a hora.

 

Aos Pares: Recomendações pós-parto?

M: Ter cuidados com o corpo (respeitar todos os timings das recomendações médicas para se retomar a vida normal de novo), tratar bem da cicatriz se tiverem feito cesariana e da pele em geral, dar tempo ao tempo para o corpo voltar ao sitio, tentar descansar entre as mamadas e tomar vitaminas para ajudar a repor os niveis de energia nos primeiros tempos. Recomenações pós-maternidade é retomar as coisas que nos dão gozo na vida, é importante que não nos esqueçamos que antes de termos sido Mães éramos mulheres e com necessidades e prazeres especificos que nos satisfaziam e faziam felizes, e sempre que possível tentarmos escapar do mundo exigente que é este da maternidade e termos o nosso momento – andar a pé, ir às compras, ir ao cabeleireiro ou ao ginásio, o que for. Para fazermos felizes temos de ser felizes J

 

Aos Pares: Quais as roupas que recomendas às grávidas?

M: As roupas de grávidas dependem um pouco da estação em questão. Mas essencialmente roupas confortáveis, fáceis de vestir e despir e se possível que dê para usarmos pós-maternidade. Vestidos é sempre uma boa aposta e túnicas compridas também. Gosto mais de ver as grávidas vestidas numas versões mais românticas mas ter uma ou outra peça que nos sintamos mais sexys é sempre importante.

 

Aos Pares: Programa perfeito com os filhos no verão?

M: Praia, piscina, ar-livre… Antes de irmos de férias aproveitámos mais o jardim de casa do que idas à piscina porque infelizmente o primeiro verão deles está a ser o mais frio desde que há registo! Mas sem duvida que sou apologista de ar livre, passeios, etc… Fomos agora de férias 3 semanas e Graças a Deus conseguimos aproveitar o verão como deve ser com muita praia, piscina, passeios e muito tempo passado lá fora.

 

Aos Pares: Recomendações para Mães de gémeos?

M: Simplificar, manter a calma em momentos caóticos e barulhentos e planear as coisas antecipadamente. Aproveitar todas as ajudas que vos ofereçam. Nós montámos um modelo em casa com alguém que está o dia todo presente e nos ajuda (até porque trabalhamos os dois) e tenho uma sogra bestial que fica imenso, quase todos os dias, com eles também. Tios, primos, irmãos, as ajudas são bem vindas de todos os lados e delegamos tarefas sempre que possível. Mesmo com 3 filhos, nunca sentimos que temos filhos a mais, temos é talvez mãos a menos, em momentos mais difíceis. Mas felizmente os nossos filhos são bem comportados, contam-se pelos dedos das mãos as vezes que realmente choraram os 2 ao mesmo tempo.

 

Aos Pares: Ser mãe de gémeos é…

M: A melhor coisa do Mundo…. a dobrar!!! Sentimos muitas vezes que não é difícil sermos pais de gémeos, a verdade é que seria fácil demais ter só um 😊

Obrigada! <3

 

À conversa com Inês Plantier!
À conversa com a Enfermeira Patrícia Jorge 7
0 Comentários

Deixe um comentário