Os «dramas» de ter filhas!

3 Comentários

Educar filhos é, sem dúvida, um grande desafio – aliás, talvez o maior das nossas vidas.

Embora haja uma parte comum, penso que educar raparigas e rapazes acaba por ser diferente. Cá em casa, tenho a sorte de ter de tudo um pouco e, na verdade, já sinto algumas (ainda que, à data, sejam poucas) diferenças entre o Tomás e as manas, principalmente com a Matilde, tão pequenina e já tão decidida!

É claro que passamos os mesmos valores a todos e os educamos da mesma forma, mas tenho a noção que posso vir a ter alguns cuidados redobrados com as raparigas, em particular no futuro; a verdade é que nos dias de hoje assusta-me mais ter filhas que filhos!

A internet, apesar de ser um fenómeno espectacular e que nos ajuda em muita coisa, também me assusta bastante. Os perigos são vários e temos de estar sempre muito muito atentos!

Entre essa e tantas outras «ameaças», temo não saber dizer a coisa certa, na altura h, e cometer erros que os venham a prejudicar. Mas, afinal, quem não tem medos?

Neste momento, compete-me tentar passar sempre os melhores valores possíveis para que, no futuro, os meus filhos os colham da melhor forma.

Nas raparigas, em particular, cumpre-nos saber ser exemplo para elas, mostrar que é bom cuidar de nós.

Por aí o que sentem as mães de raparigas e rapazes? Também têm medos? São diferentes consoante se trata de um filho ou filha?

Nota: Estas calças são da Le Petit Chiffon todas as peças da marca são feitas de algodão biológico.

image

IMG_2674

Tempo a dois!
Fim-de-semana de mimo e diversão ainda a meio...
3 Comentários
  • Catarina Louro

    Responder

    Mariana, não sei bem em que áreas da vida estava a pensar quando escreveu o texto, mas gostaria de dizer que, na minha perspectiva, é muito mais difícil educar rapazes… Digo isto porque acho que não temos de educar as filhas no sentido da sua protecção e segurança, mas é fundamental educarmos rapazes respeitadores, pacíficos, emocionalmente inteligentes e modernos – em prol da igualdade e da partilha. O cuidar de si, seja da imagem ou do intelecto é de facto importante…independentemente do género.
    Que o futuro nos traga mais amor e compreensão, menos guerra e desigualdade.

    • Mariana Seara Cardoso

      Ambos são difíceis, talvez esteja mais assustada por ter três meninas. Mas na verdade, todos são um grande desafio!
      Beijinhos

  • Maria Gonçalves

    Responder

    Boa noite, gostei das questões que levantou. Tenho dois filhos, um rapaz com 27 é uma rapariga com 24 e concordo que foram desafios diferentes, porque as personalidades e as questões de género são diferentes. Respeitar cada um e passar os nossos valores e falar sempre a verdade. Educar é difícil e só vemos os resultados mais tarde.

Deixe um comentário